O Amor Segundo a Bíblia

A Bíblia é um livro que fala muito sobre o amor. O amor é algo muito sublime e cristão. Comparado com os dons de língua, profecia, conhecimento e fé, o amor tem uma importância muito maior. Na sua primeira carta aos crentes coríntios, Paulo enfatiza o amor em relação a estes dons miraculosos. A primeira comparação é entre o dom de línguas e o amor: “ainda que eu fale a língua dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como um címbalo que retine” (1 Co 13.1). Paulo assegura a superioridade do amor em relação às línguas, e usa de um exagero, que ainda assim, caso fosse possível, seria inferior ao amor. A comparação é com uma pessoa que fale vários idiomas (língua dos homens); e o exagero ou hipérbole, refere-se ao falar a língua dos anjos. O amor é superior ao dom de línguas em qualquer situação ou característica. Depois a comparação surge entre o dom da profecia e do conhecimento, juntamente com uma fé inigualável. Mais uma vez o amor é superior a qualquer destes dons, inclusive com seus exageros: “Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e todo o conhecimento; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor nada serei” (1 Co 13.2). Quem conhece todos os mistérios do universo físico e das coisas espirituais? Que homem tem todo o conhecimento? Que homem tem uma fé tamanha, capaz de mudar a posição das montanhas, de um lagar para outro? Mesmo que algum homem tivesse um dom desta magnitude, com todas os exageros apresentados por Paulo, ainda assim, o amor seria maior e mais sublime.

 João nos assegura que Deus é amor (1 Jo 4.8,16), e que Ele provou o seu amor enviando seu Filho para morrer em nosso lugar (Jo 3.16); e nos assegura que Jesus nos amou (e nos ama!) a ponto de entregar voluntariamente sua vida em nosso favor (Jo 15.13). Somos alertados nas Escrituras a mar a Deus em primeiro lugar e ao nosso próximo como a nós mesmos (Mc 12.33). Somos ensinados que uma das provas de que amamos a Deus é vista através do amor para com nossos irmãos, que aliás é um mandamento de Deus (1 Jo 4.21).

 Somos salvos porque fomos amados por Deus primeiramente. O amor é divino e é uma dádiva ao homem, que deve exercitá-lo. Irmãos, pratiquem o amor sem restrições, obedecendo e imitando a Jesus, que é o maior exemplo do amor perfeito e sem interesse.

Pr. Marcus Paixão

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s