A Loucura do Pecado e a Bondade de Deus

Alguns acontecimentos nos deixam indignados e ao mesmo tempo perplexos. A maldade no coração humano alcança limites que nos espantam. Na carta aos Gálatas, Paulo disse que as obras da carne (da natureza pecaminosa) são inúmeras, dentre elas  está o ódio. (Gl 5.20). Moisés recebeu a Lei Moral das mãos do próprio Deus; o sexto mandamento é claro: Não Matarás, ou simplesmente, Não Cometerás Assassinato (o sentido do termo hebraico traz a idéia de assassinato).

 Estamos estarrecidos com o acontecimento que vem ganhando espaço cada vez maior na mídia: O envolvimento do jogador Bruno na morte da mãe do seu filho (sua amante). O crime foi realizado com requintes de crueldade. Ela foi morta, seu corpo serviu de refeição para os cães, assim como aconteceu com Jezabel,  e o que sobrou dela, foi concretado. 

 Até onde a natureza pecaminosa que impera no homem sem Cristo pode chegar? Crimes como esse nos servem de alerta: O mal que está presente no homem é terrivelmente devastador. A natureza pecaminosa, recebida como maldição pela desobediência de Adão, está presente em todos os homens. Cada homem que vive sobre a Terra tem a pontencialidade de cometer delitos como este e ainda piores. Caso se confirme as acusações, o jogador Bruno quebrou a Lei Moral de Deus e deixou à mostra o poder do pecado sobre o homem.  Muito mais: ficou claro que a loucura que o pecado carrega pode mover o homem a um abismo sem fim.

O pecado provoca uma espécie de cegueira, de aberração mental. Imagine um astro como era o jogador Bruno. Amado pela maior torcida de futebol do Brasil, admirado pelos adversários, com reais possibilidades de ser o goleiro da seleção brasileira na copa de 2014, com um contrato a ser firmado com o Milan (um das maiores equipes de futebol do planeta), além de tudo, um homem na flor da idade e rico. O que leva uma pessoa com tantas coisas a seu favor a participar de um assassinato brutal? A resposta é apenas uma: a loucura do pecado!

Mas engana-se quem acha que está isento destes delitos. Bruno é acusado por todos, no entanto, os acusadores não podem se esquecer que sofrem da mesma miséria. Em grau maior ou menor, o pecado exerce seu poder destruidor sobre o homem. O motivo pelo qual o mundo inteiro não vive cometendo atrocidades desse tipo, deve-se unicamente à bondade de Deus. O Senhor, em sua misericórdia, refreia o mal presente em nosso coração, controla nossa natureza pecaminosa com rédeas fortes, e impede o homem de se afogar nos mais terríveis pecados. Deus tem o domínio completo sobre nossas ações e sobre todo o nosso ser. A bondade de Deus é maravilhosa. Graças a Deus, que não nos deixou entregues a nossa própria natureza.  

Pr. Marcus Paixão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s