O significado da circuncisão

images

É muito confortador ler o livro de Josué. Sua narrativa conta a história do povo de Deus sendo levado a entrar na terra prometida e ali habitar, desfrutando da promessa que Deus havia feito a Abraão e aos demais patriarcas: “darei essa terra a ti e a tua descendência, depois de ti”. Um dos grandes temas do livro é a Aliança de Deus com o povo. Em muitos pontos da narrativa somos levados de volta ao tema “Aliança”. Vejamos nesta breve postagem, o capítulo 5, onde Deus ordena a Josué que circuncide todo o povo (é importante que o texto bíblico seja lido agora).

A circuncisão foi ordenada a Abraão em Gênesis 17 como um sinal da aliança de Deus para com ele e a sua descendência.

A Circuncisão

O que era a circuncisão? A circuncisão era um corte realizado no prepúcio do orgão genital do homem. A prática era realizada com o esticar do prepúcio seguido por um corte no excesso realizado por uma faca com lamina de pedra (pederneira).

Mas a Abraão não tinha descendência ainda, pois sua esposa Sarai era estéril. Neste ponto o texto lança luz sobre o entendimento da circuncisão: ela era cruente, ou seja, havia o derramamento de sangue. A aliança seria selada com sangue. Esse tipo de acordo era bastante comum no mundo antigo, onde os pactos eram selados com o sangue dos contratantes. Podemos ver essa figura em muitos filmes de Hollywood.

Significado da circuncisão

Contudo, a aliança de Deus era um sinal de que a sua palavra com relação a conceder uma numerosa descendência a Abraão seria realizada;  era exatamente por isso que o corte no prepúcio era a “marca” ou “sinal” da aliança. Era no órgão genital masculino, no seu prepúcio, que era realizado o corte, e dali vinha o derramamento de sangue. A circuncisão era realizada, logicamente, apenas nos homens e nesse caso, só os homens tinham o sinal da aliança. Isso porque os homens eram os chefes dos clãs, das famílias. Uma família era representada pelo seu chefe, o patriarca da família.

Assim, a circuncisão, em outras palavras , era a o sinal da confirmação de Deus de que lhe daria uma geração de filhos larga, uma descendencia “tão numerosa como as estrelas do mar, e como a areia da praia”.

Em Josué 5, quando esse sinal foi novamente ordenado, Deus os estava lembrando de que a sua aliança continuava em vigor (embora o povo tivesse prevaricado contra ele muitas vezes no deserto, nos 40 anos de travessia no Siani). Em outras palavras, o povo que havia entrando na terra de Canaã era a descendência de Abraão! O Sinal foi apenas suspenso no deserto do Sinai por conta da desobediencia, mas a aliança jamais foi anulada ou quebrada por parte de Deus. Embora as maldições da aliança tivessem caído sobre a geração rebelde, contudo, seus filhos, a nova geração recebeu o cumprimento da promessa, o que mostra a continuidade da aliança.

Até hoje, embora o sinal da aliança na forma da circuncisão tenha sido uma marca para o antigo povo de Israel, e já tenha perdido seu sentido teológico e factual para o nosso tempo (ninguém precisa mais ser circuncidado hoje!), a verdade de que existe uma aliança entre Deus e o seu povo eleito continua. A fé que confessamos é o atual “sinal” da aliança, que aliás, mesmo nos tempos do AT tinha que ser primeiramente uma “circuncisão de coração”, ou seja, de fé e compromisso com Deus. A Circuncisão era uma sombra e foi abolida com a chegada do verdadeiro Cordeiro pascal, Jesus Cristo. Do mesmo modo, a fé tomou o lugar da circuncisão e é o sinal de que somos o povo de Deus, a descendência santa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s